quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Como melhorar o sinal de Wi-Fi em casa?


Quem tem wi-fi em casa sabe que essa facilidade de acesso à internet pode ser prejudicada pela qualidade do sinal. Ou pior: há sempre algum lugar onde a internet simplesmente não pega.

Para ajudar pessoas que enfrentam esse problema diariamente, o site Tecmundo reuniu uma série de dicas práticas para fazer com que o sinal chegue com boa qualidade em todos os cantos da casa.

Veja algumas delas a seguir:

1. Atualizar o hardware e o software do seu roteador

"Se você está enfrentando dificuldades com a sua rede WiFi, seja na conexão ou na qualidade do sinal, que está fraco em determinado local, atualizar o software de seu roteador pode minimizar os problemas. Essa é uma dica batida e que muitos provavelmente já devem estar carecas de saber.

Porém, vale a pena recordar: acesse o site do fabricante e procure pelo modelo do seu roteador. Se houver, baixe a atualização, acesse o dispositivo através do navegador e faça o upgrade de firmware. Para mais dúvidas sobre o assunto, recomendamos o tutorial em vídeo como configurar uma rede sem fio."

2. Reposicionar o roteador

"Mesmo que a dica seja batida e já pareça ser “senso-comum”, há algumas sugestões novas e valiosas que podem resolver o problema de posicionamento do roteador sem fio. Uma delas é o WiFi Solver FDTD, um aplicativo para Android que ajuda as pessoas a encontrarem o melhor lugar para colocar o dispositivo.

O princípio do aplicativo – de todas as dicas sobre reposicionamento do roteador – se baseia na ideia de centralizar o dispositivo. Portanto, o recomendado é deixar o equipamento em uma área que pareça estar equidistante de todas as pontas da casa. Pense nele como se fosse o centro de uma bolha, o que vai facilitar a busca pelo local perfeito."

Fonte

Como melhorar o sinal de Wi-Fi em casa?


Quem tem wi-fi em casa sabe que essa facilidade de acesso à internet pode ser prejudicada pela qualidade do sinal. Ou pior: há sempre algum lugar onde a internet simplesmente não pega.

Para ajudar pessoas que enfrentam esse problema diariamente, o site Tecmundo reuniu uma série de dicas práticas para fazer com que o sinal chegue com boa qualidade em todos os cantos da casa.

Veja algumas delas a seguir:

1. Atualizar o hardware e o software do seu roteador

"Se você está enfrentando dificuldades com a sua rede WiFi, seja na conexão ou na qualidade do sinal, que está fraco em determinado local, atualizar o software de seu roteador pode minimizar os problemas. Essa é uma dica batida e que muitos provavelmente já devem estar carecas de saber.

Porém, vale a pena recordar: acesse o site do fabricante e procure pelo modelo do seu roteador. Se houver, baixe a atualização, acesse o dispositivo através do navegador e faça o upgrade de firmware. Para mais dúvidas sobre o assunto, recomendamos o tutorial em vídeo como configurar uma rede sem fio."

2. Reposicionar o roteador

"Mesmo que a dica seja batida e já pareça ser “senso-comum”, há algumas sugestões novas e valiosas que podem resolver o problema de posicionamento do roteador sem fio. Uma delas é o WiFi Solver FDTD, um aplicativo para Android que ajuda as pessoas a encontrarem o melhor lugar para colocar o dispositivo.

O princípio do aplicativo – de todas as dicas sobre reposicionamento do roteador – se baseia na ideia de centralizar o dispositivo. Portanto, o recomendado é deixar o equipamento em uma área que pareça estar equidistante de todas as pontas da casa. Pense nele como se fosse o centro de uma bolha, o que vai facilitar a busca pelo local perfeito."

Fonte

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Detox na vida


Porque a saúde não mora só no corpo.

Passou o natal, passou o ano novo, passou o carnaval. The game is over e a vida real pede passagem. É nessa hora que a febre detox-vida-nova-entrar-nos-eixos vem com força ainda maior- se é que isso é possível.
Detox vem da ideia de desintoxicar, tirar do corpo tudo o que não lhe faz bem. Louvável, sem dúvida nenhuma. Mas o problema começa quando as pessoas resolvem achar que duas garrafas de suco verde são a milagrosa solução para melhorar suas vidas.
2015 tá aqui na nossa frente e de nada vai adiantar desintoxicar o corpo, se a vida e a alma estão povoadas de hábitos, pessoas, dias e caminhos tóxicos. Parasitas, comodismos, vícios, medos.
Gente tóxica é o que mais tem. Gente cinza, amarga, invejosa, gente que gosta de problema, que gosta de doença, que gosta de discórdia, gente que vive de aparência, gente rasa. E não tem jeito, temos que fugir mesmo, cortar, evitar ao máximo. Bom dia, boa tarde e até logo. Não nos deixemos contaminar.
Não adianta comer chia toda manhã se a gente odeia o emprego e já sai de casa com vontade de voltar. Não dá para achar que o corpo vai estar puro se você não acredita no que faz e passa mais de 40 horas da semana ruminando tarefas infelizes.
Não adianta beber 3 litros de água por dia quando se está num relacionamento que afundou. É cômodo, todos sabemos. Mas a vida é uma só e não dá para ver os dias, meses e anos passarem com migalhas de amor e sem vestígios de paixão.
Não adianta colocar linhaça nas receitas quando só se reclama da vida, dos outros, do país, do calor, da chuva, do trânsito. É um ciclo vicioso, quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá às coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.
É ilusão achar que a mudança vem de fora para dentro. Que a felicidade e a saúde cabem em embalagens plásticas com códigos de barra. Produtos podem ser ótimos coadjuvantes nessa busca, mas a verdadeira mudança é só o protagonista quem faz.

E eu quero um 2015 detox.
Detox de dias iguais.
Detox de gente ruim.
Detox de maus hábitos.
Detox de inveja.
Detox de relações doentes.
Detox de obsessões.
Detox de pessimistas.
Detox de medo de mudar.
Detox de dias desperdiçados.
Detox de sentimentos pobres.
Detox de superficialidade.
Detox de vícios.
Detox de viver por viver.



E pra fazer detox na vida é preciso coragem. Coragem para mudar, para arriscar, para romper, para fechar ciclos que há muito tempo deveriam ter terminado. O ano oficialmente começou e a pergunta é: vai ter só suco verde ou vai ter detox na vida?

RUTH MANUS
Fonte
(Via Estadão)
Foto: Google Images

Detox na vida


Porque a saúde não mora só no corpo.

Passou o natal, passou o ano novo, passou o carnaval. The game is over e a vida real pede passagem. É nessa hora que a febre detox-vida-nova-entrar-nos-eixos vem com força ainda maior- se é que isso é possível.
Detox vem da ideia de desintoxicar, tirar do corpo tudo o que não lhe faz bem. Louvável, sem dúvida nenhuma. Mas o problema começa quando as pessoas resolvem achar que duas garrafas de suco verde são a milagrosa solução para melhorar suas vidas.
2015 tá aqui na nossa frente e de nada vai adiantar desintoxicar o corpo, se a vida e a alma estão povoadas de hábitos, pessoas, dias e caminhos tóxicos. Parasitas, comodismos, vícios, medos.
Gente tóxica é o que mais tem. Gente cinza, amarga, invejosa, gente que gosta de problema, que gosta de doença, que gosta de discórdia, gente que vive de aparência, gente rasa. E não tem jeito, temos que fugir mesmo, cortar, evitar ao máximo. Bom dia, boa tarde e até logo. Não nos deixemos contaminar.
Não adianta comer chia toda manhã se a gente odeia o emprego e já sai de casa com vontade de voltar. Não dá para achar que o corpo vai estar puro se você não acredita no que faz e passa mais de 40 horas da semana ruminando tarefas infelizes.
Não adianta beber 3 litros de água por dia quando se está num relacionamento que afundou. É cômodo, todos sabemos. Mas a vida é uma só e não dá para ver os dias, meses e anos passarem com migalhas de amor e sem vestígios de paixão.
Não adianta colocar linhaça nas receitas quando só se reclama da vida, dos outros, do país, do calor, da chuva, do trânsito. É um ciclo vicioso, quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá às coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.
É ilusão achar que a mudança vem de fora para dentro. Que a felicidade e a saúde cabem em embalagens plásticas com códigos de barra. Produtos podem ser ótimos coadjuvantes nessa busca, mas a verdadeira mudança é só o protagonista quem faz.

E eu quero um 2015 detox.
Detox de dias iguais.
Detox de gente ruim.
Detox de maus hábitos.
Detox de inveja.
Detox de relações doentes.
Detox de obsessões.
Detox de pessimistas.
Detox de medo de mudar.
Detox de dias desperdiçados.
Detox de sentimentos pobres.
Detox de superficialidade.
Detox de vícios.
Detox de viver por viver.



E pra fazer detox na vida é preciso coragem. Coragem para mudar, para arriscar, para romper, para fechar ciclos que há muito tempo deveriam ter terminado. O ano oficialmente começou e a pergunta é: vai ter só suco verde ou vai ter detox na vida?

RUTH MANUS
Fonte
(Via Estadão)
Foto: Google Images

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Brilho e cor: veja dicas de maquiagem para o Carnaval

Está chegando o Carnaval, festa que pede muita cor, brilho e fantasia. E para arrasar no look durante a folia, a maquiadora Vanessa Rozan ensina em vídeo passo a passo de como fazer uma maquiagem bem colorida.

Garotas se maquiam para o carnaval de São Paulo (Foto: Adriana Blauth)
Vanessa Rozan é dona de uma escola de maquiagem e trabalha como maquiadora oficial na Maybelline no Brasil.
As dicas foram publicadas no site O Globo. Veja o vídeo:
dicamaquiagem

Brilho e cor: veja dicas de maquiagem para o Carnaval

Está chegando o Carnaval, festa que pede muita cor, brilho e fantasia. E para arrasar no look durante a folia, a maquiadora Vanessa Rozan ensina em vídeo passo a passo de como fazer uma maquiagem bem colorida.

Garotas se maquiam para o carnaval de São Paulo (Foto: Adriana Blauth)
Vanessa Rozan é dona de uma escola de maquiagem e trabalha como maquiadora oficial na Maybelline no Brasil.
As dicas foram publicadas no site O Globo. Veja o vídeo:
dicamaquiagem

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

'Orkuti': nova rede social para matar a saudade do velho Orkut

Saudades do Orkut? Faça um perfil no Orkuti, a plataforma que surgiu para resgatar os fãs da falecida rede social, que conquistou uma legião de fãs no Brasil.

A novidade, que cresceu bastante nos últimos dias, já arrebanhou mais de 150 mil usuários e tem sete mil comunidades ativas.

Seu design lembra bastante o do verdadeiro Orkut e alguns jogos como Fazenda Feliz estão disponíveis além dos temas de fundo para os perfis.

Bateu aquela nostalgia? Então você terá que fazer um novo cadastro pois o Google não permitiu que o brasileiro criador do site migrasse as contas do velho Orkut para a nova plataforma.

Via Catraca Livre (Adnews)

'Orkuti': nova rede social para matar a saudade do velho Orkut

Saudades do Orkut? Faça um perfil no Orkuti, a plataforma que surgiu para resgatar os fãs da falecida rede social, que conquistou uma legião de fãs no Brasil.

A novidade, que cresceu bastante nos últimos dias, já arrebanhou mais de 150 mil usuários e tem sete mil comunidades ativas.

Seu design lembra bastante o do verdadeiro Orkut e alguns jogos como Fazenda Feliz estão disponíveis além dos temas de fundo para os perfis.

Bateu aquela nostalgia? Então você terá que fazer um novo cadastro pois o Google não permitiu que o brasileiro criador do site migrasse as contas do velho Orkut para a nova plataforma.

Via Catraca Livre (Adnews)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

COLETOR MENSTRUAL PODE SUBSTITUIR ABSORVENTES

O coletor menstrual é uma tecnologia íntima bastante conhecida na Europa há mais de 80 anos, e que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. Trata-se de um copo de silicone medicinal hipoalérgico e antibacteriano, ajustável ao corpo, que coleta o sangue da menstruação sem deixar vazar.

Também conhecido como copo menstrual, o instrumento é confortável e se adapta facilmente ao corpo feminino, devido ao seu material flexível. Ao ser introduzido no canal vaginal, forma um vácuo, que impede a entrada de ar, evitando vazamento e mau odor - já que o sangue menstrual só produz cheiro quando entra em contato com o ar. Isso permite que as mulheres possam finalmente dar adeus aos absorventes ou a qualquer tipo de tampão íntimo durante o período menstrual, ficando livres de alergias e poupando o dinheiro gasto com absorventes.

COLETOR X ABSORVENTES

O copo menstrual possibilita a livre movimentação e a prática de atividades físicas (inclusive natação) sem incômodos ou vazamento. Também vale lembrar que alguns absorventes externos fazem uso de componentes perfumados - para evitar o mau cheiro - que podem trazer irritação para o órgão genital. Ou seja, as mulheres que têm alergia aos componentes dos absorventes externos ou internos não correm o mesmo risco com este novo método, já que o coletor é feito somente de silicone medicinal.
As mulheres que tendem a ter infecções vaginais com frequência não precisam se preocupar com o coletor. Este tipo de problema costuma se agravar com o uso dos absorventes internos, que absorvem o sangue, mas continuam mantendo-o em contato com a pele, aumentando o risco de infecções. Já os coletores, apesar de também serem internos, não absorvem o sangue, que passa a ficar em contato com o recipiente e não com a pele. Sendo assim, o risco de infecção é bem baixo, e seu uso recomendado por diversos ginecologistas.
O coletor menstrual funciona como um copinho, que é inserido na vagina e recolhe o fluxo menstrual. Ele é feito normalmente de silicone medicinal e, por isso, é bem flexível. Seu formato parece um cálice, cuja haste fica próxima do final da vagina. O objetivo é facilitar a retirada do coletor com as mãos. Como a única utilidade da haste é essa. Algumas mulheres, com boa habilidade da musculatura vaginal, cortam a haste por completo e expelem o copinho com a força do músculo.

UMA SOLUÇÃO SUSTENTÁVEL

O coletor menstrual não é descartável, podendo ser usado durante 4 a 10 anos, dependendo do cuidado dispensado ao produto. Ou seja, o copo é reutilizável durante todo período menstrual, só precisa ser lavado a cada doze horas , mesmo para quem tem o fluxo forte, e ainda pode ser usado no próximo ciclo. A higienização do coletor é feita de maneira bem simples, lavando apenas com água. No final do ciclo menstrual, o produto deve ser lavado com água fervente e, em seguida, guardado em local limpo.
As mulheres de hoje em dia estão ficando cada vez mais preocupadas com a qualidade de vida e com a substituição do tóxico e do sintético pelo natural e saudável. Um dado interessante é que cada mulher utiliza em média uma tonelada de absorventes durante toda a sua vida, e cada um levará cerca de 100 anos para se degradar por completo na natureza. Já o coletor pode ser utilizado durante anos, resultando em uma interferência ambiental incomparavelmente menor.
Uma pesquisa realizada pela Fine Marketing, encomendada pela marca brasileira líder no mercado de coletores menstruais, apontou que 83% das mulheres entrevistadas aprovaram o produto e aderiram ao hábito. O estudo foi feito com 146 mulheres, em julho de 2011, no Brasil. As entrevistadas não conheciam o coletor até então, e ainda utilizavam absorventes externos e internos.

CURIOSIDADE

Historicamente o absorvente feminino passou por várias modificações. Dizem que na Grécia antiga as mulheres chegaram a usar um pedaço de madeira envolto por um paninho, que era introduzido na vagina. No início do século XX eram utilizadas toalhas e fraldas, e só depois surgiram os absorventes que conhecemos hoje, que por sua vez foram evoluindo para absorventes com abas, com aroma e revolucionando até o surgimento do coletor menstrual.
Mas antes de iniciar o uso dos coletores, é importante consultar seu médico. A Drª. Cátia Chuba, médica ginecologista, nos alerta sobre as restrições do uso do coletor: "Em mulheres que nunca tiveram relação sexual, a inserção e a retirada do coletor pode eventualmente causar o rompimento do hímen. E, por esse motivo, o uso não é recomendado. Também não indico utilizar o produto no pós-parto, já que o corpo da mulher leva um tempo para se recuperar. Nessa fase, o colo do útero pode ainda não estar completamente fechado, podendo causar inflamação. A partir da primeira menstruação, depois da quarentena, o coletor já poderá ser utilizado. Tirando essas duas contraindicações, eu indico o uso do coletor menstrual. Afinal, o produto traz diversos benefícios, como todos que já foram citados. Além disso, também oferece conforto e praticidade, não altera o PH da flora vaginal, e possibilita uma melhor ventilação na região - diferente dos outros absorventes externos e internos. O coletor ainda é fácil de carregar e de higienizar", explica a especialista.
Imagens: Divulgação.

Fonte

COLETOR MENSTRUAL PODE SUBSTITUIR ABSORVENTES

O coletor menstrual é uma tecnologia íntima bastante conhecida na Europa há mais de 80 anos, e que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. Trata-se de um copo de silicone medicinal hipoalérgico e antibacteriano, ajustável ao corpo, que coleta o sangue da menstruação sem deixar vazar.

Também conhecido como copo menstrual, o instrumento é confortável e se adapta facilmente ao corpo feminino, devido ao seu material flexível. Ao ser introduzido no canal vaginal, forma um vácuo, que impede a entrada de ar, evitando vazamento e mau odor - já que o sangue menstrual só produz cheiro quando entra em contato com o ar. Isso permite que as mulheres possam finalmente dar adeus aos absorventes ou a qualquer tipo de tampão íntimo durante o período menstrual, ficando livres de alergias e poupando o dinheiro gasto com absorventes.

COLETOR X ABSORVENTES

O copo menstrual possibilita a livre movimentação e a prática de atividades físicas (inclusive natação) sem incômodos ou vazamento. Também vale lembrar que alguns absorventes externos fazem uso de componentes perfumados - para evitar o mau cheiro - que podem trazer irritação para o órgão genital. Ou seja, as mulheres que têm alergia aos componentes dos absorventes externos ou internos não correm o mesmo risco com este novo método, já que o coletor é feito somente de silicone medicinal.
As mulheres que tendem a ter infecções vaginais com frequência não precisam se preocupar com o coletor. Este tipo de problema costuma se agravar com o uso dos absorventes internos, que absorvem o sangue, mas continuam mantendo-o em contato com a pele, aumentando o risco de infecções. Já os coletores, apesar de também serem internos, não absorvem o sangue, que passa a ficar em contato com o recipiente e não com a pele. Sendo assim, o risco de infecção é bem baixo, e seu uso recomendado por diversos ginecologistas.
O coletor menstrual funciona como um copinho, que é inserido na vagina e recolhe o fluxo menstrual. Ele é feito normalmente de silicone medicinal e, por isso, é bem flexível. Seu formato parece um cálice, cuja haste fica próxima do final da vagina. O objetivo é facilitar a retirada do coletor com as mãos. Como a única utilidade da haste é essa. Algumas mulheres, com boa habilidade da musculatura vaginal, cortam a haste por completo e expelem o copinho com a força do músculo.

UMA SOLUÇÃO SUSTENTÁVEL

O coletor menstrual não é descartável, podendo ser usado durante 4 a 10 anos, dependendo do cuidado dispensado ao produto. Ou seja, o copo é reutilizável durante todo período menstrual, só precisa ser lavado a cada doze horas , mesmo para quem tem o fluxo forte, e ainda pode ser usado no próximo ciclo. A higienização do coletor é feita de maneira bem simples, lavando apenas com água. No final do ciclo menstrual, o produto deve ser lavado com água fervente e, em seguida, guardado em local limpo.
As mulheres de hoje em dia estão ficando cada vez mais preocupadas com a qualidade de vida e com a substituição do tóxico e do sintético pelo natural e saudável. Um dado interessante é que cada mulher utiliza em média uma tonelada de absorventes durante toda a sua vida, e cada um levará cerca de 100 anos para se degradar por completo na natureza. Já o coletor pode ser utilizado durante anos, resultando em uma interferência ambiental incomparavelmente menor.
Uma pesquisa realizada pela Fine Marketing, encomendada pela marca brasileira líder no mercado de coletores menstruais, apontou que 83% das mulheres entrevistadas aprovaram o produto e aderiram ao hábito. O estudo foi feito com 146 mulheres, em julho de 2011, no Brasil. As entrevistadas não conheciam o coletor até então, e ainda utilizavam absorventes externos e internos.

CURIOSIDADE

Historicamente o absorvente feminino passou por várias modificações. Dizem que na Grécia antiga as mulheres chegaram a usar um pedaço de madeira envolto por um paninho, que era introduzido na vagina. No início do século XX eram utilizadas toalhas e fraldas, e só depois surgiram os absorventes que conhecemos hoje, que por sua vez foram evoluindo para absorventes com abas, com aroma e revolucionando até o surgimento do coletor menstrual.
Mas antes de iniciar o uso dos coletores, é importante consultar seu médico. A Drª. Cátia Chuba, médica ginecologista, nos alerta sobre as restrições do uso do coletor: "Em mulheres que nunca tiveram relação sexual, a inserção e a retirada do coletor pode eventualmente causar o rompimento do hímen. E, por esse motivo, o uso não é recomendado. Também não indico utilizar o produto no pós-parto, já que o corpo da mulher leva um tempo para se recuperar. Nessa fase, o colo do útero pode ainda não estar completamente fechado, podendo causar inflamação. A partir da primeira menstruação, depois da quarentena, o coletor já poderá ser utilizado. Tirando essas duas contraindicações, eu indico o uso do coletor menstrual. Afinal, o produto traz diversos benefícios, como todos que já foram citados. Além disso, também oferece conforto e praticidade, não altera o PH da flora vaginal, e possibilita uma melhor ventilação na região - diferente dos outros absorventes externos e internos. O coletor ainda é fácil de carregar e de higienizar", explica a especialista.
Imagens: Divulgação.

Fonte